DNA sequencing platform acquired by the INCT

A linha "Interações organismo-ambiente", valendo-se de ferramentas modernas de observação, sensoriamento remoto, aspectos bioquímicos, fisiológicos e ecológicos, analisará porque e como diferentes grupos animais e vegetais conseguem sobreviver a extremos ambientais similares e, da mesma forma, como os que não conseguem, percebem as mudanças e emigram. Estes estudos deverão incluir espécies de peixes, plantas aquáticas, invertebrados (camarões, insetos e zooplâncton), microrganismos e mamíferos aquáticos em ambientes naturais, modificados pelo homem e sob condições experimentais (microcosmos). Os resultados dessa abordagem constituirão um Banco de Dados para a definição de potenciais biomarcadores, objeto central da segunda linha de pesquisas do Centro. Esses resultados servirão, também, para a definição de um conjunto de espécies diferentes que terão seus genomas analisados em busca dos genes comuns que estão sendo ativados ou desativados. Isso deverá ser feito por catalogação da expressão gênica, seqüenciamento do DNA e posterior análise por meio da bioinformática. A exploração de novos produtos e processos a partir das características funcionais de elementos da flora e da fauna tem maior probabilidade de sucesso do que a exploração ao acaso de elementos da biodiversidade amazônica. Isso será empreendido no âmbito dos Programas Aplicados, terceira linha de pesquisas do Centro. Nessa linha serão também gerados importantes subsídios para políticas públicas, decorrentes da análise de plantas e animais expostos, de forma crônica, a condições ambientais específicas, por meio de microcosmos especialmente construídos.

Assim, o ADAPTA representa um conjunto de atividades de Biologia Aplicada. Por fim, a presente proposta busca um novo momento, o passo seguinte, no estudo das Adaptações de organismos aquáticos da Amazônia, por meio da incorporação de novos equipamentos, da estruturação de um serviço de bioinformática, da capacitação de pessoal em todos os níveis, desde a iniciação científica até o pós-doutorado, da formação de técnicos para a pesquisa científica e para o setor produtivo, da montagem de um robusto banco de dados biológicos, ambientais e moleculares, da dupla divulgação dos resultados (decodificados para o público em geral e em periódicos de grande circulação), de oficinas com potenciais usuários dos resultados, da produção de livros paradidáticos e da estruturação de um sítio na internet com podcast e filmes. A colaboração existente entre os grupos brasileiros (vide mapa da rede à pagina 116) e a ampliação da colaboração com grupos de alto nível de Instituições estrangeiras permitirá a adoção de um novo referencial, particularmente para os estudantes que queremos ver fixados definitivamente na Amazônia num futuro próximo.


OUTROS INSTITUTOS DO SETOR