RESULTADOS E PERSPECTIVAS

Este INCT permitiu a expansão das pesquisas do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR) para o interior do continente antártico, culminando com a instalação no verão de 2011/2012 do módulo científico  "Criosfera 1" (84°00'S, 79°30'W) para monitoramento climático e da química atmosférica. Trata-se do laboratório científico latino-americano mais ao sul do planeta. Este INCT lidera as pesquisa oceanográficas brasileiras no Oceano Austral e no verão de 2012/2013 realizou a primeira operação completa a bordo do Navio Polar Almirante Maximiano, coletando dados oceanográficos referentes a características de massas de água em duas regiões no estreito de Bransfield e NW do mar de Weddell. De forma geral, as atividades desenvolvidas no âmbito do INCT da Criosfera contribuíram para a aquisição de dados oceanográficos e glaciológicos em áreas do planeta com poucos dados observacionais, mas conhecidamente sensíveis às mudanças climáticas. Nesse contexto, a inovação ocorre com o desenvolvimento de algoritmos computacionais para a análise de séries temporais de dados oceanográficos e imagens de satélite, e desenvolvimento ou adaptação de métodos e equipamentos para a coleta de dados em situações ambientais extremas. Os dados adquiridos consistem na contribuição brasileira para diversos programas e projetos internacionais. Além disso, dados observacionais coletados pelos grupos envolvidos no INCT da Criosfera contribuem para a análise e validação de resultados de modelos oceanográficos e glaciológicos. O INCT também é o líder latino-americano nas pesquisa paleoambientais usando testemunhos de gelo, tendo realizado várias perfurações nas geleiras antárticas. Algumas das áreas que se beneficiam com a formação de recursos humanos por parte do INCT da Criosfera são: Oceanografia Física, Sensoriamento Remoto, Química da Atmosfera, Climatologia, Glaciologia e Geografia Polar. A transferência de conhecimentos para a sociedade ocorre através da realização de palestras e outras atividades de divulgação científica, além da absorção de pessoal treinado no INCT por universidades, empresas da área de estudos ambientais e órgãos do governo. O INCT, ao executar grande parte da pesquisa científica brasileira polar, reforça a posição do país no Tratado da Antártica, o sistema jurídico válido para aquela região.